Prédios são incendiados nos EUA em protesto contra a morte de homem negro morto por policial Branco


A morte de um negro desarmado George Floyd, em Minneapolis, levou à prisão de um policial e provocou protestos nos Estados Unidos, enquanto manifestantes exigem justiça.

Carros pegam fogo em uma garagem local durante os protestos em Minneapolis (Imagem: AFP via Getty Images)

Cidades foram incendiadas quando protestos se espalharam pelos Estados Unidos após a morte de George Floyd na cidade de Minneapolis, em Minnesota. Os manifestantes estão exigindo justiça depois que um policial branco foi visto em imagens de vídeo usando o joelho para prender o pescoço do negro desarmado de 46 anos nas ruas.

O policial Derek Chauvin, que foi demitido do departamento de polícia com três colegas no dia seguinte ao encontro fatal, foi preso por homicídio em terceiro grau e acusações de homicídio culposo pelo incidente.

Carros em chamas em uma garagem em 29 de maio durante a noite em Minneapolis, enquanto os protestos continuavam (Imagem: AFP via Getty Images)

Hoje surgiu um policial morto a tiros e um segundo ferido em meio a protestos em Oakland, Califórnia.
As filmagens desencadearam protestos violentos nos Estados Unidos, já que o incidente reacende as tensões sobre o preconceito racial no sistema de justiça criminal e a brutalidade policial nos Estados Unidos.

Os protestos ocorrem em meio a anos de ativismo da ‘Black Lives Matter’, após décadas de pressão por mudanças pelo movimento de direitos civis da América.

Um manifestante usando uma máscara de gás segura uma placa durante uma manifestação em Detroit, Michigan (Imagem: AFP via Getty Images)

As manifestações estão sendo comparadas aos motins de 1992 em Los Angeles, que responderam à prisão e espancamento de Rodney King.


Os protestos violentos terminaram em danos e mortes em larga escala, quando policiais de Los Angeles foram absolvidos por um juiz pelo espancamento brutal de King, um afro-americano.


“As pessoas estão basicamente perdendo a fé no sistema e sentindo que não aguentam mais e saem às ruas para protestar”, disse à NBC o reitor de ciências sociais da UCLA, Darnel Hunt .

A morte de George Floyd acendeu a raiva em todo o mundo (Imagem: Internet Unknown)

As imagens que circulam pelo mundo mostram Floyd com o joelho de Chauvin pressionado no pescoço, enquanto ele suspira por ar e geme repetidamente: “por favor, eu não consigo respirar”, enquanto uma multidão de espectadores grita com a polícia para deixá-lo em paz.

Após alguns minutos, Floyd gradualmente deixa de responder e para de se mover
Ele foi declarado morto em um hospital local pouco tempo depois.


As acusações apresentadas pelos promotores do condado de Hennepin vieram depois de uma terceira noite de incêndio criminoso, saques e vandalismo em que manifestantes incendiaram uma delegacia de polícia, e a Guarda Nacional foi destacada para ajudar a restaurar a ordem em Minneapolis.


As autoridades esperavam que a prisão de Chauvin aliviasse a raiva do público e evitasse a contínua agitação.

O policial de Minneapolis, Derek Chauvin (Imagem: Divulgação da polícia)

Mas os manifestantes desafiaram o toque de recolher estabelecidos na cidade em meio à pandemia de coronavírus em andamento .
O Pentágono negou que a polícia militar tenha sido colocada em espera pelo presidente Donald Trump para participar dos protestos em Minneapolis.


O Departamento de Defesa dos EUA disse na manhã de sábado (BST): “O Departamento entrou em contato com o Governador (do estado) e não há solicitação de forças do Título 10 para apoiar a Guarda Nacional de Minnesota ou a aplicação da lei estadual”.


Os relatórios foram divulgados depois que cerca de 500 manifestantes entraram em conflito novamente com a polícia em Minneapolis na noite de sexta-feira com a polícia de choque do lado de fora do prédio da Terceira Delegacia.

Você pode gostar...