91 coreanos foram re-infectadas com coronavírus e causa preocupação mundial

O país registrou apenas 27 casos novos, o menor após o número de casos diários chegar a mais de 900 no final de fevereiro – mas nem tudo são boas notícias depois que 91 pessoas que já tinham sido curadas testaram positivo novamente

Jeong Eun-kyeong revelou a notícia em uma coletiva de imprensa (Imagem: YONHAP / EPA-EFE / Shutterstock)

As autoridades sul-coreanas revelaram que 91 pacientes que foram liberados do coronavírus tiveram um resultado positivo novamente. Jeong Eun-kyeong, diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coréia, disse em um briefing que o vírus pode ter sido “reativado” em vez de os pacientes serem re-infectados.

Autoridades de saúde sul-coreanas disseram que ainda não está claro o que está por trás da tendência, com investigações epidemiológicas ainda em andamento.

A perspectiva de pessoas re-infectadas com o vírus é preocupante internacional, pois muitos países esperam que as populações infectadas desenvolvam imunidade suficiente para impedir o ressurgimento da pandemia.

O número sul-coreano subiu de 51 casos na segunda-feira.

“O número só aumentará, 91 é apenas o começo agora”, disse Kim Woo-joo, professor de doenças infecciosas no Hospital Guro da Universidade da Coréia.

Jeong, do KCDC, levantou a possibilidade de que, em vez de os pacientes serem reinfetados, o vírus possa ter sido “reativado”.

Kim também disse que os pacientes provavelmente “recaíram” em vez de serem reinfetados.

Segundo outros especialistas, os resultados de testes falsos também podem estar errados, ou os remanescentes do vírus ainda podem estar nos sistemas dos pacientes, mas não podem ser infecciosos ou perigosos para o hospedeiro ou outros.

“O governo precisa apresentar respostas para cada uma dessas variáveis”.

A Coréia do Sul divulgou na sexta-feira 27 novos casos, o menor após casos diários, chegando a mais de 900 no final de fevereiro, segundo o KCDC, acrescentando que o total foi de 10.450 casos.

O número de mortos subiu de sete para 211, segundo o jornal. A cidade de Daegu, que sofreu o primeiro grande surto de coronavírus fora da China, registrou zero novos casos pela primeira vez desde o final de fevereiro.

Com pelo menos 6.807 casos confirmados, Daegu é responsável por mais da metade do total de infecções na Coréia do Sul.

A disseminação de infecções em uma igreja em Daegu provocou um aumento nos casos na Coréia do Sul a partir do final de fevereiro.

O surto inicialmente elevou a contagem de casos confirmados muito mais alto do que em qualquer outro lugar fora da China, antes que o país usasse testes generalizados e medidas de distanciamento social para reduzir os números.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *