OMS declara emergência mundial por causa do Surto de coronavírus que já matou 170 pessoas e pode atingir o mundo inteiro



A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que ‘o mundo inteiro precisa estar alerta’ sobre o moço surto de coronavírus, que o declarou uma emergência internacional de saúde pública

A Organização Mundial da Saúde declarou o surto de coronavírus uma emergência internacional de saúde pública. O comitê de emergência da OMS “quase por unanimidade” concluiu que era uma emergência internacional, disse o presidente Didier Houssin, quando o anúncio foi feito hoje à noite, quando o número de mortos sobe para 170.

Em uma entrevista coletiva em Genebra, Suíça, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, disse: “Nas últimas semanas, testemunhamos o surgimento de um patógeno anteriormente desconhecido, que evoluiu para um surto sem precedentes e que foi recebido por uma resposta sem precedentes.

“Como já disse várias vezes desde o meu retorno de Pequim, o governo chinês deve ser parabenizado pelas medidas extraordinárias adotadas para conter o surto, apesar do severo impacto social e econômico que essas medidas estão exercendo sobre o povo chinês.”

“Nós já teríamos visto muitos outros casos fora da China – e provavelmente mortes – se não fossem os esforços do governo e o progresso que eles fizeram para proteger seu próprio povo e o mundo”.

Em uma carta após o anúncio da OMS, os diretores médicos da Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte disseram: “À luz do número crescente de casos na China e do uso de modelos existentes e amplamente testados, os quatro diretores médicos do Reino Unido consideram prudente para que nossos governos escalem o planejamento e a preparação em caso de um surto mais generalizado.

“Por esse motivo, estamos aconselhando um aumento do nível de risco do Reino Unido de baixo para moderado. Isso não significa que pensamos que o risco para indivíduos no Reino Unido tenha mudado nesse estágio, mas que o governo deve planejar todas as eventualidades”.

O anúncio ocorre poucas horas antes de um voo de evacuação para trazer os britânicos de volta ao Reino Unido sair da cidade de Wuhan, onde o surto de vírus começou.

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido revelou que os britânicos estão sendo evacuados hoje à noite e serão mantidos em quarentena em uma instalação do NHS em Wirall, perto de Liverpool, por 14 dias depois de desembarcarem amanhã.

O Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, da OMS, disse: “O principal motivo dessa declaração não é o que está acontecendo na China, mas o que está acontecendo em outros países.

“Nossa maior preocupação é o potencial do vírus se espalhar para países com sistemas de saúde mais fracos e mal preparados para lidar com ele”.

Na semana passada, a OMS disse que era “muito cedo” para declarar uma emergência internacional de saúde pública, mas na quinta-feira disse que são necessárias ações para ajudar os países a se prepararem para a possibilidade de se espalhar ainda mais.

O novo vírus já infectou mais pessoas na China do que adoeceu durante o surto grave da síndrome respiratória aguda (Sars) de 2002-2003. O número de casos saltou para 7.711, superando as 5.327 pessoas diagnosticadas com Sars.

O comitê da OMS realizou uma conferência de imprensa

O número de mortos, que subiu para 170 na manhã de quinta-feira, é menor do que as 348 pessoas que morreram na China de Sars.

O vôo de evacuação para trazer os britânicos de volta deixará a cidade de Wuhan hoje à noite e aterrará na sexta-feira antes que os passageiros sejam mantidos em uma instalação do NHS em Wirral por um período de quarentena de 14 dias, secretário de Relações Exteriores Dominic Raab .

O vôo deve sair da cidade de Wuhan às 5h, horário local, na sexta-feira de manhã, que é 21h na quinta-feira à noite, horário do Reino Unido.

O voo aterrará na RAF Brize Norton, em Oxfordshire, onde os cidadãos do Reino Unido desembarcarão. Cinqüenta estrangeiros – principalmente de países da UE e considerados espanhóis – também estarão no voo de evacuação que seguirá para a Espanha posteriormente.

Janelle Holmes, diretora executiva do Hospital Universitário de Wirral, enviou uma mensagem aos funcionários na noite de quinta-feira, dizendo: “Cerca de 100 cidadãos britânicos viajarão para o Reino Unido da China amanhã.

“Vamos recebê-los e alojá-los no bloco de acomodações do Hospital Arrowe Park.

“Antes da chegada, eles serão rastreados quanto a sintomas. Se alguém ficar doente após a chegada, eles serão tratados seguindo os protocolos apropriados”.

Pedimos aos cidadãos britânicos que se dirigissem ao aeroporto, e entende-se que o Consulado Britânico forneceu cartas para ajudar as pessoas nos carros a passarem pelos postos de segurança.

Os passageiros dizem que foram instruídos apenas a levar bagagem de mão no voo.

Jeff Siddle, de Northumberland, disse à BBC que sua família enfrentou um “terrível dilema” depois que ele e sua filha de nove anos foram avisados ​​de que poderiam voltar – mas não sua esposa chinesa, que tem um visto de residência permanente no Reino Unido.

A OMS disse que “o mundo inteiro precisa estar em alerta” sobre o novo surto de coronavírus.

O número de casos de coronavírus saltou para 7.711, com 170 mortes.

A Índia confirmou seu primeiro caso na quinta-feira, assim como as Filipinas. 

Isso ocorre quando a primeira disseminação de coronavírus de pessoa para pessoa nos Estados Unidos foi confirmada em Illinois.



Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *