Mãe some com a filha após perder a guarda da criança em SP



O pai conseguiu a guarda da criança, de 5 anos, em março de 2019, mas desde então a mãe sumiu com a criança

Foto: Dikran Djrdrjan e filha desaparecida | Reprodução | G1

Um pai de 41 anos está desesperado atrás da sua filha, de 5 anos, que foi levada pela mãe e desapareceu há seis meses. Em março de 2019, Dikran Djrdrjan ganhou a guarda de Katherine mas, desde então, sua ex-mulher não entrega a criança aos seus cuidados. O caso corria em segredo de Justiça e só agora ele conquistou o direito de buscar sua filha usando as redes sociais.

Segundo o pai, que é morador de Santos, no litoral de São Paulo, desde que a Justiça decidiu pela inversão da guarda e a mãe foi notificada,já foram realizadas pelo menos três tentativas de busca e apreensão, mas a polícia ainda não conseguiu localizar a menina. A advogada da mulher, que também está desaparecida, não quis comentar o caso.

“Meu sentimento é de desamparo. A Justiça fez todo o procedimento correto, mas levou mais de quatro anos para identificar tudo isso. Agora, tenho sentido mais apoio da sociedade e dos órgãos competentes, o que mais dá um alívio. Mas ainda tenho um sentimento de vazio, de ter uma filha e não a conhecer direito, não saber do que ela gosta, coisas pequenas do dia a dia.”

Essa história começou com um breve relacionamento entre Dikran e a mãe da menina, que resultou na gravidez e no casamento. Ele conta que, após descobrirem a gestação, a mulher passou a ter algumas restrições médicas e desenvolveu fobia por tratamento, chegando a alegar que a criança estaria com uma doença chamada miopatia mitocondrial. Esta condição pode gerar algumas complicações, como perda auditiva, convulsões, problemas cardíacos e respiratórios.

“É a mesma doença que causou a morte do irmão dela. Ela começou a alegar que tinha total conhecimento do caso e que os médicos que atendiam sua família ficariam a par da situação. Depois do nascimento, não me permitia acompanhar no pediatra nem fazer exames que comprovassem a doença. Ela falava coisas que eu não percebia, a criança não tinha sintoma nenhum”, explica o pai.

Dikran está desesperado, pois já não vê sua filha há um ano e meio, quando houve uma tentativa de visita. Ele relata que ficou cerca de 15 minutos na presença da filha, mas que a visita foi conturbada, já que a mãe não permitia que ele ficasse perto de Katherine. “Há mais de quatro anos ela não me permite conviver direito com a minha filha, e agora ela sumiu”.

De acordo com Dikran, essa situação foi criando um bloqueio de visitas da família. Nesta época, eles ainda eram casados, mas se separaram em 2015, quando a filha tinha 7 meses. Ao alegar que a menina precisava de tratamento médico fora do país, os pais partiram para o âmbito judicial. A mãe chegou a desobedecer ordens judiciais de levar Katherine para fazer perícia médica que comprovasse a doença. Foi isso que resultou na perda da guarda. Fonte : G1 / Por : Mariana Nadaleto



Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *