Ciclone na África deixa Dezenas de mortos e mais de 70 desaparecidos

A tempestade tropical deixou um rastro de morte e destruição ao invadir áreas de Moçambique, Malawi e Zimbábue

Pelo menos 31 pessoas morreram no leste do Zimbábue, enquanto dezenas estão desaparecidas, já que casas e pontes foram varridas por uma tempestade tropical .

O ciclone Idai, que levou a água das enchentes e a destruição às áreas de Moçambique e Malaui, atingiu o Zimbábue na sexta-feira, cortando energia e comunicações.

Imagens compartilhadas no Twitter e imagens de televisão mostraram estradas, casas e pontes que foram destruídas enquanto torres de comunicação foram derrubadas e cabos de eletricidade bloqueando as estradas no distrito de Chimanimani, a 410 quilômetros a leste da capital Harare.

A televisão estatal ZBC disse que 31 pessoas morreram no distrito, enquanto mais de 70 pessoas estavam desaparecidas.

O Ministério da Informação informou que o Exército foi transferido para resgatar 197 alunos presos em uma escola local.

“Esta é uma operação muito desafiadora, pois está sendo realizada como um esforço terrestre por causa das condições climáticas inseguras para os esforços aéreos”, disse o ministério em um comunicado.

Joshua Sacco, membro do parlamento em Chimanimani, disse à Reuters que o distrito foi isolado do resto do país quando a tempestade deixou um rastro de destruição remanescente do ciclone Eline em fevereiro de 2000, que devastou o sul do Zimbábue.

Sacco disse que o número de mortes deve aumentar à medida que os esforços de resgate continuam.

Chimanimani, que faz fronteira com Moçambique, foi a mais afetada, com a tempestade causando inundações e destruindo lavouras e plantações, informou o Ministério da Informação do Zimbábue.

Os helicópteros da Força Aérea estavam resgatando pessoas, mas os vôos estavam sendo desacelerados por fortes ventos.

O Zimbábue enfrentou uma severa seca este ano que danificou as plantações e uma agência humanitária das Nações Unidas diz que 5,3 milhões de pessoas vão precisar de ajuda alimentar.

Os serviços meteorológicos do país esperam que as chuvas continuem durante o fim de semana


VEJA OUTRAS NOTÍCIAS >>