Padrasto estupra e mata ex. enteada de 10 anos.



Eu sabia que a mãe dela tinha saído de casa, aí pulei o muro e com uma chave da porta do fundo que eu tinha guardado, entrei…
Padrasto estupra e mata ex. enteada de 10 anos.

Alana Ludmila Borges

Robert Serejo, de 31 anos de idade, foi preso na manhã deste sábado (04), no município de paço do Lumiar no estado do Maranhão, por dois policiais à paisana, enquanto tentava fugir em uma van para outra cidade.

Robert era o principal suspeito de ter estuprado e matado a ex. enteada, Alana Ludmila borges, de apenas 10 anos de idade, e enterrado o corpo no fundo da casa dela.

No momento da prisão, Robert negou ter matado Alana, e chegou até a chorar, mas momentos mais tarde na delegacia, ele acabou confessando o crime.

Em depoimento à polícia, Robert contou detalhadamente, como estuprou e matou a ex. enteada.
Robert disse à polícia, que sabia que a ex. companheira tinha saído de casa, ele então pulou o moro do fundo da residência, que fica localizada no bairro maiobão, e com a cópia de uma chave que ele tinha guardado desde a época em que mantinha um relacionamento com a mãe de Alana, ele abriu a porta e entrou na casa,
Segundo Robert, Alana teria gritado no momento em que viu ele dentro da casa, ele então tapou a boca da criança com a mão, e a estuprou. Logo após a violência sexual, Robert afirmou ter matado Alana asfixiada e enterrado o corpo no quintal da casa.



Alana desapareceu na quarta feira (01), dia do crime, mas o seu corpo só foi encontrado dois dias depois, na sexta feira (03), Alana estava enterrada em uma cova rasa, com as mãos amarradas nas costas, e com um saco plástico na cabeça.

Padrasto estupra e mata ex. enteada de 10 anos.

Robert Serejo

Durante a prisão de Robert, um grupo de pessoas tentou linchá-lo, mas o grupo foi contido pela polícia.
O criminoso acabou tendo que ser levado para outra cidade, aonde ficará em uma sela separada.

No veleiro de alana, a mãe Jaciara Borges pereira teve que se retira devido as ameaças de linchamento por parte da população que culpava a mulher pela morte da criança,

A casa aonde Jaciara morava com alana e um outro filho de 4 anos foi invadida e destruída pela população da cidade, que até o momento não se conformou com o crime.

VEJA MAIS NOTICIAS DO MUNDO AQUI >>



Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.